Estratégia e Análise 2017-06-05T18:40:35+00:00

Na BM&FBOVESPA, cuidamos para que cada negócio seja o melhor possível. Somos parceiros de nossos clientes durante todo o processo e estimulamos os debates sobre sustentabilidade corporativa.

A BM&FBOVESPA é referência global em operações de bolsa. Reconhecida mundialmente por sua gestão de risco, pela excelência em infraestrutura operacional e tecnológica e na prestação de serviços, a Companhia reafirma sua visão de posicionar o mercado de capitais como uma das principais alternativas de captação e alocação de recursos por empresas e investidores no mercado brasileiro, assim como de aprofundar a importância e a presença dos derivativos como instrumento de proteção.

Em consonância com essa perspectiva, a BM&FBOVESPA mantém como valores inerentes a suas atividades o constante diálogo com diferentes públicos e o desenvolvimento de soluções inovadoras e eficientes.

Os valores de sustentabilidade também permeiam a estratégia corporativa da Companhia em seus processos decisórios por meio de uma estrutura de governança comprometida em estimular a discussão do tema interna e externamente por meio de diversas ações, conforme consta de sua Política de Sustentabilidade.

São exemplos dessas iniciativas que impactam positivamente sociedade e companhias o Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) – referência em práticas de gestão sustentável no Brasil e no mundo – e a Bolsa de Valores Socioambientais (BVSA), ação pioneira adotada como Estudo de Caso e recomendada pelo Pacto Global da ONU para todas as bolsas de valores do mundo.

Assim, a BM&FBOVESPA acredita que grande parte de seus diferenciais competitivos deriva de seu potencial inovador, fortemente fundamentado na capacidade profissional de suas equipes e no investimento em tecnologias e produtos que permitem criar e captar novas oportunidades, aumentar e diversificar receitas e reafirmar o seu papel de autorregulador e indutor de boas práticas, além de promover mudanças positivas para seu público de relacionamento.

Apresentam-se, a seguir, os temas mais relevantes para o desempenho e desenvolvimento da Companhia.

Espaço Raymundo Magliano Filho

Excelência tecnológica e operacional

Uma das forças do modelo de negócios da BM&FBOVESPA é, reconhecidamente, a pós-negociação. Em 2016, a Companhia redobrou seus esforços para a concretização de seu grande projeto de infraestrutura tecnológica: a unificação das clearings, que promoverá a consolidação de infraestrutura e processos e estenderá ao mercado de ações a eficiência de seu sistema de gestão de riscos CORE (Closeout Risk Evaluation), já disponível no mercado de derivativos financeiros e de commodities.

Destaca-se que a implantação da Clearing BM&FBOVESPA vem ocorrendo desde 2012,  por meio da transferência progressiva das atividades de quatro câmaras (derivativos, ações e renda fixa privada, câmbio e ativos) para uma nova estrutura unificada.

Em 2014, na primeira fase a Câmara de Derivativos foi a primeira a migrar para a Clearing BM&FBOVESPA, enquanto as demais permaneceram em suas estruturas originais. A conclusão da segunda fase, que consiste na integração da Câmara de Ações e Renda Fixa Privada à Clearing BM&FBOVESPA, está prevista para ocorrer em 2017, dependendo de resultados de testes, bem como de aprovações regulatórias.

Os dois maiores segmentos de mercado da Companhia passarão a usufruir de uma nova plataforma, no estado da arte, com capacidade de processamento suficiente para suportar o crescimento futuro dos mercados.

Com a conclusão desse projeto estratégico, a BM&FBOVESPA atingirá novo patamar de excelência operacional para dar continuidade ao atendimento de demandas de seus clientes e participantes.

Clearing BM&FBOVESPA: para o mercado, mais segurança e eficiência; para o mundo, um projeto inovador.

A plataforma de negociação eletrônica PUMA Trading System BM&FBOVESPA, implantada em 2011, tem superado sucessivos recordes de volumes, sem episódios de atraso ou indisponibilidade, mesmo em períodos de grande volatilidade. Os investimentos feitos nessa plataforma colocam a Companhia em posição privilegiada para atender às expectativas de crescimento do mercado.

Localizado estrategicamente em Santana do Parnaíba/SP (próximo a São Paulo, mas longe dos problemas dos grandes centros), o Data Center BM&FBOVESPA possui tecnologia de ponta com modernos geradores e nobreaks de última geração, bem como ampla disponibilidade de recursos de telecomunicação. Em ambiente restrito e controlado, o espaço tem autonomia operacional de 72 horas sem reabastecimento e conta com sistema de monitoramento e gravação de imagens. A construção também tem certificação ambiental Leadership in Energy and Environmental Design (LEED), com iniciativas de sustentabilidade como geradores e chillers de altíssima eficiência energética.

 

Data Center
Fachada do Data Center BM&FBOVESPA

Também faz parte da estratégia da Companhia buscar novas tecnologias e analisar como estas podem aperfeiçoar seu modelo de negócios.

Ressalta-se que, em 2016, foi criado o Comitê de TI, órgão de assessoramento ao Conselho de Administração, tendo como principais atribuições avaliar novas tecnologias, apoiar a análise de sua viabilidade e acompanhar indicadores que traduzam a percepção dos clientes sobre os serviços de TI da BM&FBOVESPA.

Nesse sentido, em busca de inovações sob a ótica de negócios e infraestrutura de TI, a Companhia aderiu ao consórcio da R3 visando desenvolver soluções inspiradas na tecnologia de registro distribuído e descentralizado (Distributed Ledger Technology – DLT, plataforma inspirada no conceito de blockchain), aplicáveis aos mercados financeiros globais.

Centro de Operações BM&FBOVESPA
Centro de Operações da BM&FBOVESPA

Gestão de risco, autorregulação e supervisão de mercado

A Companhia busca sempre a excelência na gestão de riscos e na administração de garantias, dada sua atuação como Contraparte Central (CCP) das operações realizadas em seu ambiente de bolsa. Para fins de liquidação, a BM&FBOVESPA interpõe-se entre os participantes, posicionando-se como compradora para todos os vendedores e vendedora para todos os compradores.

Para administrar os riscos inerentes a essa função, a CCP concentra suas atividades no cálculo, no controle e na redução do risco de crédito oferecido por participantes e clientes, de forma que o risco comece a ser monitorado na etapa de pré-negociação, por meio da ferramenta LiNe (Limite de Negociação).

A BM&FBOVESPA também conta com um sistema próprio de cálculo de risco integrado, o CORE (Closeout Risk Evaluation) que, a partir de bilhões cálculos, define qual o volume de garantias deve ser depositado pelos participantes, levando em consideração a posição em aberto de cada um e os parâmetros de risco inseridos no sistema.

Em caso de inadimplência, a estrutura de salvaguardas da CCP, que, além das garantias de clientes e participantes, inclui os fundos específicos de liquidação e parte do patrimônio da própria Companhia, pode ser utilizada para a cobertura de perdas relacionadas a falhas de liquidação.

Números do CORE – Closeout Risk Evaluation

Gestão de risco corporativo e operacional A Companhia tem também como prática a análise constante dos riscos a que está exposta ou possam afetar seus negócios. A gestão está respaldada pelas Políticas de Gestão de Risco Corporativo e de Risco Operacional, que estabelecem princípios, diretrizes e responsabilidades nesse processo.

Para atender a essas políticas, foi estabelecida uma metodologia de gerenciamento de riscos corporativos, que alinha os objetivos estratégicos da Companhia (tone of the top) ao apetite e à tolerância ao risco que a BM&FBOVESPA está disposta a incorrer na gestão de seus negócios.

Essa metodologia ainda prevê duas abordagens – top-down e bottom-up – que possibilitam identificação, avaliação, tratamento, monitoramento e comunicação de riscos estratégicos, operacionais, financeiros e regulatórios.

Top-down

Consiste na identificação, por meio de eventos históricos, entrevistas com diretores e diretores executivos, e de referências de outras bolsas e infraestruturas de mercado, dos principais riscos que afetam a Companhia. Uma vez identificados, os riscos são avaliados em relação a sua aderência ao apetite ao risco aprovado pelo Conselho de Administração.

Bottom-up

Nessa abordagem, o perfil de risco é criado a partir de análises de processos, o que permite identificação e resposta a riscos operacionais e métricas de classificação, além de supervisão contínua por meio de indicadores.

O resultado do monitoramento e a evolução dos riscos são documentados nos Relatórios Mensal e Semestral e reportados ao Conselho de Administração e a seus Comitês de Auditoria e de Risco e Financeiro, bem como ao Comitê Consultivo de Riscos Corporativos – órgão de assessoramento ao Diretor Presidente, composto por mais da metade dos diretores da Companhia, que monitora de maneira preventiva os riscos operacional, estratégico, financeiro e regulamentar que compõem o perfil de risco corporativo da BM&FBOVESPA. Em 2016, esse órgão reuniu-se 12 vezes em caráter ordinário e uma vez em caráter extraordinário. G4-14G4-45G4-46G4-47

Ressalta-se também que, em relação à gestão de risco corporativo e operacional, a BM&FBOVESPA mantém preocupação constante com a segurança da informação tanto interna como externamente, visando proteger, preservar e assegurar confidencialidade, disponibilidade e integridade de dados a todos aqueles com acesso autorizado a informações, sistemas e/ou ambientes tecnológicos da Companhia, bem como possibilitar identificação, avaliação, tratamento, monitoramento e comunicação de potenciais vulnerabilidades e ameaças.

Além desses controles, na agenda socioambiental, a Companhia responde, desde 2009, ao questionário do Programa de Mudanças Climáticas do Carbon Disclosure Project (CDP), detalhando sua gestão, riscos e oportunidades no tema, bem como acompanha leis e acordos nacionais e internacionais vinculados a metas de redução obrigatória de carbono e carvão e à oferta de produtos relacionados a mudanças climáticas. Ressalta-se que as principais commodities agrícolas negociadas na Bolsa são suscetíveis a eventos físicos, mas os riscos – regulatórios e de incertezas climáticas – são considerados indiretos e difíceis de ser estimados quantitativamente.  G4-14G4-EC2

Autorregulação e supervisão de mercado O total comprometimento com o controle de risco também se torna evidente por meio de constantes investimentos em autorregulação e supervisão.

Cabe à BM&FBOVESPA Supervisão de Mercados (BSM), organização independente que atua como órgão auxiliar da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), verificar o cumprimento das normas legais e regulamentares por parte das pessoas autorizadas a operar no mercado, apontar eventuais deficiências e acompanhar as medidas adotadas para saná-las.

Em 2016, a BSM desenvolveu diversas iniciativas para fortalecer e aprimorar os instrumentos de regulação e de autorregulação do mercado de valores mobiliários, destacando-se a publicação da nova versão de seu Regulamento Processual.

Práticas de governança

A BM&FBOVESPA adota um modelo de governança corporativa integralmente comprometido com as melhores práticas, de forma a manter a integridade do negócio e o profissionalismo em todas atividades desenvolvidas. E, para garantir a melhoria contínua, sempre mantém essa estrutura em sua pauta de discussões estratégicas.

O modelo de governança corporativa da BM&FBOVESPA conta com:

  • Conselho de Administração com amplo conhecimento dos negócios da Companhia e de seus mercados de atuação; e Comitês de Assessoramento com papéis bem definidos, com destaque para os Comitês de Governança e Indicação, Comitê de Auditoria e Comitê de Riscos e Financeiro;
  • Comitês de Assessoramento ao Diretor Presidente que garantem que assuntos relevantes para a Companhia sejam tratados em profundidade e de acordo com normas e regras específicas; e Câmaras Consultivas que constituem importante canal de comunicação com investidores, participantes de mercado e empresas;
  • Estrutura organizacional com áreas de Controles Internos, Compliance e Risco Corporativo e Auditoria Interna que se reportam não apenas ao Diretor Presidente como também aos Comitês de Assessoramento do Conselho de Administração;
  • Estatuto social e conjunto de códigos, políticas e normas que formam o arcabouço de sua governança.

A Companhia mantém um fluxo de investimentos em pessoas, infraestrutura e soluções tecnológicas para implantar as melhores práticas de controles internos, gestão de processos, mitigação de riscos corporativos e de modelos financeiros, compliance, segurança de informação e continuidade de negócios.

Além disso, mantém práticas de governança que visam zelar pelo bom andamento dos processos internos, controlar sistemas e procedimentos, coibir falhas de conduta e incentivar a divulgação de informações de forma objetiva, assegurando que as expectativas e as necessidades de seus principais públicos sejam atendidas.

Conflitos de interesse  – A Política para Transações com Partes Relacionadas e Demais Situações de Conflito de Interesse, alinhada às exigências da Lei 6.404/1976, estabelece regras para assegurar que todas as decisões sejam tomadas tendo em vista os interesses da BM&FBOVESPA e de seus acionistas. GRI G4-41

Casos de eventual descumprimento são levados ao Comitê de Governança e Indicação para avaliação e proposição de ações corretivas, as quais passam, posteriormente, por análise do Conselho. GRI G4-41

Os membros do Conselho e os administradores da Companhia e de suas controladas também assinam termo de adesão à Política de Divulgação de Informações e Negociação de Valores Mobiliários.

  • Maioria de conselheiros independentes, todos com excelente reputação e reconhecida experiência no mercado.

  • Comitês de Assessoramento ao Conselho com atuação bem definida.

  • Política para Transações com Partes Relacionadas e Demais Situações de Conflitos de Interesse.

  • Código de Conduta de adesão obrigatória por todos os administradores, funcionários, estagiários, fornecedores e parceiros comerciais da Companhia e de suas coligadas e controladas, no Brasil e no Exterior.

A Companhia também não admite nenhuma prática que vise ocultar ou dissimular origem, localização e movimentação de bens, direitos ou valores. Dessa forma, qualquer operação suspeita de lavagem de dinheiro é comunicada ao Comitê de Prevenção e Combate à Lavagem e à Ocultação de Bens, Direitos e Valores, órgão de assessoramento ao Diretor Presidente G4-58

Ademais, a BM&FBOVESPA disponibiliza canais de comunicação de denúncias de comportamentos não éticos, ou incompatíveis com a legislação, abertos a seus profissionais, bem como a seus parceiros comerciais e demais stakeholders. Seja qual for o mecanismo utilizado, há garantia de sigilo de todas as informações fornecidas.

Em 2016, nos canais disponíveis (Linha Direta, Canal do Código de Conduta e Canal do Comitê de Auditoria), os principais temas relatados versam sobre possíveis assédios morais, práticas discriminatórias, suspeitas de fraude e obtenção de vantagens indevidas, sendo 100% das denúncias ou dúvidas processadas e respondidas, independentemente de sua procedência. G4-57G4-58

Código de Conduta – Traz valores, princípios e normas da Companhia, bem como orientações quanto à conduta pessoal e profissional, ao relacionamento com fornecedores e parceiros, dentre outros, de modo a observar as melhores práticas e prevenir a ocorrência de atos ilícitos. G4-56

Entre os canais de comunicação com seus públicos de relacionamento, a Companhia disponibiliza o e-mail codigodeconduta@bvmf.com.br, monitorado diariamente pela Diretoria de Controles Internos, Compliance e Risco Corporativo, que adota as providências cabíveis para encaminhar a denúncia ao conhecimento do Comitê do Código de Conduta, o qual é responsável por analisar dúvidas e denúncias, e deliberar sobre os casos de comprovada infração. G4-57G4-58

Em 2016, o canal do Código de Conduta recebeu 217 consultas, das quais se destacam dúvidas relacionadas a regras de negociação de valores mobiliários, de normas para o recebimento de brindes e de participação em eventos patrocinados por terceiros. G4-57G4-58

Aplicado à BM&FBOVESPA e às suas controladas, o Código de Conduta e demais políticas estão disponíveis no site de RI (bmfbovespa.com.br/ri), em Governança Corporativa, Estatutos, Códigos e Políticas. G4-56

Ombudsman – Canal de comunicação com o público externo, busca manter contato permanente com todos que se relacionam com a BM&FBOVESPA – investidores, participantes de mercado, empresas listadas, instituições públicas e privadas órgãos reguladores, fornecedores e imprensa. G4-26G4-57G4-58

Cabe ao Ombudsman analisar e dar tratamento formal às demandas recebidas por telefone ou formulário de contato (disponível em bmfbovespa.com.br) e encaminhar resposta conclusiva, bem como propor medidas corretivas ou de aprimoramento de procedimentos e rotinas. Além disso, esse canal é instância superior ao atendimento prestado pelo Serviço de Atendimento ao Público (SAP/11 3272-7373).

Em 2016, foram recebidas 600 consultas, sendo 80% contra participantes de mercado (corretoras), 7% contra a Bolsa, 12% contra bancos e 1% contra companhias emissoras, 100% analisadas e respondidas. Com relação ao assunto objeto das demandas, em 2016, os três grupos de reclamação mais expressivos foram: problemas na execução de ordens de operações dada por clientes para suas respectivas corretoras (representando 25%), dificuldades na transferência de custódia (22%) e problemas diversos com home broker (11%). G4-57G4-58

Desenvolvimento de mercados, produtos e serviços

Faz parte das estratégias da BM&FBOVESPA o compromisso constante de aumentar a liquidez dos produtos existentes, ampliar seu portfólio de instrumentos e, assim, atrair novos clientes.

Destacam-se, a seguir, as principais atividades desenvolvidas em 2016.

 Formadores de mercado – A Companhia continuou com a expansão dos programas de formador de mercado, entendendo que sua atividade tem se mostrado importante para o fomento da liquidez dos produtos, além de proporcionar uma melhor condição de formação de preço e redução da volatilidade desses valores mobiliários. Para tanto, em 2016, lançou 18 novos programas, ampliando o número total de 27 para 55.

Nota-se ainda que, em novembro de 2016, a BM&FBOVESPA passou a aceitar o credenciamento de fundos de investimento exclusivos (Fundo Exclusivo), para o exercício da atividade de formador de mercado para valores mobiliários, ampliando o número de participantes que podem exercer essa atividade.

Produtos – Em 2016, foram admitidas à negociação as cotas de emissão do It Now Ibovespa Fundo de Índice (BOVV11), ampliando para 15 o número de ETFs disponíveis.

A Companhia também tem apostado no desenvolvimento do Contrato Futuro de Cupom de IPCA (DAP), que foi relançado em 2016. Nesse sentido, a partir de maio, esse contrato passou a contar com a atuação de formadores de mercado e, atendendo demanda de agentes do mercado, ajustes na metodologia de apuração do preço de ajuste desse contrato foram implementados.

Também em 2016, foram realizadas diversas melhorias na plataforma do Tesouro Direto, visando aprimorar o processo de comunicação com o investidor, introduzir novos procedimentos de negociação e automatizar o processo de utilização de títulos públicos do Tesouro Direto em garantia de operações na BM&FBOVESPA.

Segmentos especiais de listagem – Buscando a evolução constante dos padrões de governança corporativa no Brasil, em 2016 a BM&FBOVESPA iniciou um debate com reguladores, empresas listadas, investidores, participantes do mercado e outras partes interessadas, com o objetivo de aprimorar os regulamentos de seus segmentos especiais de listagem.

O programa foi dividido em três etapas: Consulta Pública, Audiência Pública e Audiência Restrita, contemplando os segmentos Novo Mercado e Nível 2.

Indução de boas práticas – Visando também intensificar a relação com seus diversos públicos, a BM&FBOVESPA busca estender as boas práticas de transparência e gestão a seus stakeholders por meio de projetos e programas que contribuam para avançar na agenda socioambiental.

Dentre eles, destaca-se o Relate ou Explique para Relatório de Sustentabilidade ou Integrado (lançado em 2012) – uma recomendação, de adesão voluntária, às empresas listadas para indicarem, no Formulário de Referência, se publicam relatório com informações relacionadas às dimensões social, ambiental e de governança corporativa; e onde esse documento está disponível. Em caso negativo, devem explicar por que não o fazem.

Em 2016, a CVM promoveu uma revisão no Formulário de Referência e, em adição ao que já praticava na agenda de sustentabilidade, tornou o item 7.8 exclusivo para esse tema. As companhias devem indicar se divulgam informações socioambientais e qual a metodologia adotada, se os dados são auditados ou revisados por entidade independente e onde podem ser encontrados. Com essa decisão, o compromisso das empresas passa a ser diretamente com o órgão regulador.

Incentivo ao conhecimento técnico e à educação financeira A BM&FBOVESPA reconhece seu papel de capacitar profissionais que atuam em seus mercados, bem como de promover projetos que ampliem o conhecimento sobre suas atividades e contribuam para a expansão de sua base de investidores, além de iniciativas de envolvimento, sensibilização e informação dos variados públicos de seu interesse.

A Companhia incentiva diversos programas e projetos voltados à educação financeira por meio de seu Instituto Educacional, como a participação na Estratégia Nacional de Educação Financeira (Enef) e o Desafio BM&FBOVESPA, competição que ensina na prática como é o funcionamento do mercado de ações a estudantes do Ensino Médio das redes pública e privada do Estado de São Paulo.

Alunos do Colégio Prisma, campeão do Desafio BM&FBOVESPA 2016

A BM&FBOVESPA trabalha para desenvolver não só o mercado, mas a sociedade, por meio de investimentos em educação financeira, cultura, inclusão social e esporte.

Destacam-se, ainda, o MBA Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais para Jornalistas, a Resenha da Bolsa, publicação que visa promover o conhecimento técnico sobre os mercados e difundir as melhores práticas de gestão de risco e de trading; e o Novo Valor – Sustentabilidade nas Empresas, guia com orientações para inserção do tema da sustentabilidade no dia a dia das companhias. Em 2016, foi lançada a edição revisada, com inclusão de KPIs socioambientais e uma versão para empresas de capital fechado.

Para a geração de conhecimento técnico e desenvolvimento do mercado, a Companhia também promove ou participa de diversos eventos e/ou fóruns de discussão. Em 2016, os destaques foram a organização do 15° Seminário Perspectivas para o Agribusiness e o apoio ao Seminário 40 anos da Lei das S.As.

15° Seminário Perspectivas para o Agribusiness

Solidez financeira

Em 2016, a BM&FBOVESPA manteve o foco na busca por eficiência. Como resultado,  o crescimento das despesas ajustadas ficou em linha com a inflação média da economia. As despesas ajustadas totalizaram R$653,1 milhões, crescimento de 6,3% sobre o ano anterior.

Em prosseguimento ao compromisso de aperfeiçoar sua infraestrutura tecnológica e aumentar sua eficácia operacional, bem como otimizar seu sistema de gestão de risco, em 2016, a BM&FBOVESPA investiu R$223,7 milhões.

Além disso, foi mantido o compromisso de retornar capital aos acionistas por meio da combinação de pagamento de proventos, sem comprometer a robustez de balanço, condição fundamental devido ao papel da Companhia como contraparte central.

Em 2016, foram distribuídos R$900 milhões para os acionistas na forma de juros sobre capital próprio (JCP), o que corresponde a 62,2% do lucro líquido recorrente do ano.

Vale destacar que, no contexto da combinação de atividades da BM&FBOVESPA e da Cetip, em dezembro de 2016, a Companhia captou recursos para fazer frente às obrigações financeiras decorrentes dessa transação. Dentre eles, R$3 bilhões por meio de emissão de debêntures com prazo de três anos e empréstimo no valor de US$125 milhões com prazo de um ano, aumentando seu nível do endividamento. 

A dívida bruta da Companhia, no final de 2016, era de R$5.463 milhões, sendo 91,8% dos vencimentos no longo prazo e 8,2% no curto prazo. Destaca-se que a dívida é composta por senior unsecured notes emitidas no Exterior em julho de 2010, debêntures e empréstimo em moeda estrangeira. Esse montante inclui o principal e os juros acumulados.

A alavancagem financeira será reduzida ao longo dos próximos três anos com o pagamento das debêntures e do empréstimo.

A Companhia entende que, dada a forte geração de caixa proporcionada por seu modelo de negócio, será capaz de continuar distribuindo resultados para seus acionistas em níveis atrativos ao mesmo tempo que reduz seu endividamento.

Gestão de pessoas

As pessoas são vistas como um recurso valioso para a BM&FBOVESPA, que considera o desenvolvimento de seus profissionais fundamental para o bom desempenho da organização.  Por meio de treinamentos e programas de capacitação, estímulo à educação, avaliação de desempenho e feedbacks, incentiva a todos para que estejam alinhados com a cultura organizacional da Companhia e, dessa forma, deem o seu melhor.

O processo de avaliação, do qual participam 100% dos funcionários (395 mulheres e 943 homens), leva em consideração as variáveis planejamento/metas (o quê) e comportamentos/competências (como) para cada nível e função. Ao longo do ano, são realizadas duas conversas estruturadas e formais entre gestor e funcionário. G4-LA11

A mensuração começa pela autoavaliação do funcionário, passa pela avaliação do gestor e por alinhamento em reuniões colegiadas entre os líderes de cada diretoria. Em seguida, o funcionário recebe feedback e inicia a elaboração do Plano de Desenvolvimento Individual.

Visando o alinhamento de interesses, bem como a retenção do pessoal-chave, a Companhia também contempla remuneração variável de curto e longo prazo, que ocorre, respectivamente, por meio do programa de PLR (Participação nos Lucros e Resultados) e do Plano de Concessão de Ações.

E, como parte da busca estruturada pela evolução profissional de seus funcionários, a Companhia oferece todo o suporte para que explorem os seus potenciais e, em contrapartida, se engajem a fim de beneficiar a organização, melhorem suas performances para, desse modo, serem reconhecidos.

Nesse sentido, destaca-se o programa Jornada de Líderes, que contempla ações estruturadas de capacitação e ações opcionais de desenvolvimento individual. É destinado a diretores executivos, diretores, superintendentes e gerentes.

Em 2016, foram realizadas diversas ações, como palestras motivacionais e workshops, visando desenvolver competências, disseminar o conhecimento interno e fortalecer o perfil de liderança da Companhia. Ao longo do ano, 200 gestores participaram do programa Jornada de Líderes.

Palestrantes do programa Jornada de Líderes

José Roberto Guimarães, treinador da Seleção Brasileira de Voleibol Feminino
Mario Sergio Cortella, filósofo, escritor e educador
Maestro João Carlos Martins

Dentre as iniciativas, destacam-se o programa Estudos de Caso, em que se promove uma troca de experiências entre diferentes áreas funcionais, exercitando a tomada de decisão em conjunto; e o programa de Mentoria, em que diretores executivos e diretores são capacitados para atuar como mentores de um grupo de superintendentes, no desenvolvimento de competências consideradas fundamentais para a Companhia.

Com o objetivo de acelerar o desenvolvimento das competências para futuras lideranças, os gerentes iniciaram um programa on-line, da Harvard Business School, com foco em capacitação comportamental.

A BM&FBOVESPA zela por um ambiente de respeito às pessoas, alicerçado em valores e objetivos fundamentais nas áreas de direitos humanos, práticas trabalhistas e combate à corrupção, proporcionando igualdade de oportunidades.

Manter e atrair profissionais qualificados em seu quadro de funcionários também é uma das prioridades da Companhia. Em 2016, a BM&FBOVESPA, investiu em atividades voltadas para jovens talentos, dentre elas o programa Estágio de Férias e o programa Brasileiros Graduandos no Exterior.

Em 2016, a Companhia também promoveu diversas modalidades de treinamento corporativo (in company, on-line e externo), sendo disponibilizadas 24.882,5 horas. G4-LA9

Número médio de horas de treinamento por gênero e categoria funcional  G4-LA9

Horas disponibilizadas

Categoria funcional 2016 2015
Total empregados Total mulheres Total homens Total empregados Total mulheres Total homens
Diretores 627 95 532 264 49 215
Superintendentes 2.205,5 466 1.739,5 887,5 1.35 752,5
Gerentes 4.162,5 770 3.392,5 2.265 497 1.768
Equipes 16.976,5 5.756 11.220,5 12.360,5 4.514 7.846,5
Estagiários 911 283 628 715 273 442
Total 24.882,5 7.370 17.512,5 16.492 5.468 11.024

Média de horas frequentadas

Categoria funcional 2016 2015
Total empregados Total mulheres Total homens Total empregados Total mulheres Total homens
Diretores 16 12 17 9 2 7
Superintendentes 19 21 19 11 2 9
Gerentes 420 15 21 15 3 11
Equipes 112 13 12 12 4 7
Estagiários 12 9 14 10 4 6
Total 14 13 14 12 4 8

Perfil do público interno G4-10

O ano de 2016 fechou com o total de 1.338 funcionários (395 mulheres e 943 homens), sendo 100% cobertos por acordos de negociação coletiva; e 63 estagiários (25 mulheres e 38 homens). Todos se encontram na região Sudeste e, com exceção dos estagiários, todos são contratados por tempo indeterminado e em período integral. G4-11

Em 2016, o menor salário de seus funcionários representou 200% do salário mínimo federal para homens e 254% para mulheres, ressaltando-se que não há, na Companhia, profissionais ou estagiários que recebem salário mínimo estadual. G4-EC5

Estagiários da BM&FBOVESPA

Perfil do público interno G4-10

Categoria funcional 2016 2015 2014
Diretores 31 30 30
Superintendentes 83 84 88
Gerentes 157 154 155
Equipes 1.067 1.055 1.084
Estagiários 63 69 85
Total 1.401 1.392 1.442
Tipo de contrato 2016 2015 2014
Mulheres Homens Mulheres Homens Mulheres Homens
Tempo determinado 25 38 31 38 38 47
Tempo indeterminado 395 943 395 928 401 956
Total 420 981 426 966 439 1.003
Tipo de emprego 2016 2015 2014
Mulheres Homens Mulheres Homens Mulheres Homens
Jornada integral 395 943 395 928 401 956
Meio período 25 38 31 38 38 47
Total 420 981 426 966 439 1.003
Região 2016 2015 2014
Mulheres Homens Mulheres Homens Mulheres Homens
Sudeste 420 981 426 966 439 1.003

Número total e taxas de novas contratações de empregados e rotatividade de empregados por faixa etária e gênero G4-LA1

Faixa etária 2016 2015
Total de empregados contratados Taxa de novas contratações Total de empregados contratados Taxa de novas contratações
Mulheres Homens Mulheres Homens Mulheres Homens Mulheres Homens
Abaixo de 30 anos 55 73 35% 32% 62 79 39% 36%
De 30 a 50 anos 14 54 6% 8% 16 47 7% 7%
Acima de 50 anos 0 0 0% 0% 0 1 0% 1%
Faixa etária 2016 2015
Total de empregados desligados Taxa de rotatividade de empregados Total de empregados desligados Taxa de rotatividade de empregados
Mulheres Homens Mulheres Homens Mulheres Homens Mulheres Homens
Abaixo de 30 anos 37 55 23% 24% 52 72 33% 33%
De 30 a 50 anos 29 45 12% 7% 35 72 14% 11%
Acima de 50 anos 3 10 15% 14% 3 21 14% 27%

Composição dos grupos responsáveis pela governança e discriminação de empregados por categoria funcional, de acordo com gênero, faixa etária, minorias e outros indicadores de diversidade G4-LA12

Indivíduos que integram os órgãos de governança 2016 2015
Total Mulheres Homens Total Mulheres Homens
16 6% 94% 15 7% 93%
Indivíduos que integram os órgãos de governança 2016 2015
Total Abaixo de 30 anos De 30 a 50 anos Mais de 50 anos Total Abaixo de 30 anos De 30 a 50 anos Mais de 50 anos
16 0% 37% 63% 15 0% 33% 67%
Grupos minoritários 2016 2015 2016
Total Indivíduos que integram os órgãos de governança Total Indivíduos que integram os órgãos de governança Total Indivíduos que integram os órgãos de governança
Negros 41 0% 60 0% 46 0%
Pessoas com deficiência 55 0% 57 0% 66 0%
Categoria funcional 2016 2015 2014
Mulheres Homens Mulheres Homens Mulheres Homens
Diretores 6 19% 25 81% 5 20% 25 80% 4 26
Superintendentes 17 20% 66 80% 17 20% 67 80% 17 71
Gerentes 36 23% 121 77% 39 25% 115 75% 42 113
Equipes 336 31% 731 69% 334 32% 721 68% 338 746
Estagiários 25 40% 38 60% 31 45% 38 55% 38 47
Total 420 981 426 966 439  1.003
Categoria funcional Abaixo de 30 anos De 30 a 50 anos Mais de 50 anos
2016 2015 2014 2016 2015 2014 2016 2015 2014
Diretores 0% 0% 24 77% 25 80% 26 7 23% 5 20% 4
Superintendentes 1 1% 1 1% 2 69 83% 70 83% 75 13 16% 13 15% 11
Gerentes 6 4% 2 1% 18 142 90% 141 92% 128 9 6% 11 78% 9
Equipes 313 29% 308 29% 431 689 65% 679 64% 603 65 6% 68 6% 50
Estagiários 63 100% 68 100% 85 0 0% 1 0% 0 0% 0 0%
Total 383 379 536 924 916 832 94 97 74
Categoria funcional 2016 2015 2014 2016 2015 2014
Mulheres negras Homens negros Mulheres negras Homens negros Mulheres negras Homens negros Pessoas com deficiência
Diretores
Superintendentes 1 1 1 1
Gerentes 1 1 1 2 1 2
Equipes 7 30 29 24 8 30 55 57 66
Estagiários 1 2 1 3
Total 8 33 31 29 10 36 55 57 66

Razão matemática do salário e da remuneração entre mulheres e homens, por categoria funcional em %. G4-LA13

Categoria funcional 2016 2015
Razão mulheres/ homens (salário-base) Razão mulheres/ homens (remuneração média) Razão mulheres/ homens (salário-base) Razão mulheres/ homens (remuneração média)
Diretores 0,88 0,68 1,04 1,3
Superintendentes 1,04 1,06 1,05 1,14
Gerentes 0,94 0,93 0,95 0,92
Equipes 0,84 0,86 0,85 0,85
Estagiários 0,95 1 0,94 0,90

Benefícios G4-LA2

Faz parte da estratégia da Companhia estimular o desempenho e a produtividade da equipe. Além dos benefícios legais (convênio-farmácia, seguro de vida, empréstimo emergencial, vale-alimentação, vale-refeição e auxílio-creche/babá), oferece ações para o bem-estar geral dos funcionários e para a melhoria do ambiente de trabalho.

Programa Qualidade de Vida

Estruturado nos pilares +Equilíbrio, +Saúde e +Lazer e Cultura, contempla várias modalidades, destacando-se em 2016:

  • +Você, serviço gratuito de orientação e apoio pessoal em várias especialidades, com atendimento 24h, por telefone e e-mail – 19.130 atendimentos.
  • Espaço de convivência com ambulatório médico e serviços de atendimento médico, nutricional, psicológico, fisioterápico, cardiológico, dermatológico e de acupuntura, além de massagens – 8.195 atendimentos, sendo 8.056 ambulatorial.
  • Campanha de vacinação contra gripe para imunização de funcionários, estagiários e terceiros – 1.812 pessoas beneficiadas.
  • Academia, mediante convênio, e subsídio na mensalidade para funcionários e estagiários – 365 pessoas inscritas.
  • Programa de check-up para diretores, superintendentes e especialistas seniores – 36 participantes.
  • Bolsa de Facilidades, que proporciona acesso a produtos e serviços relacionados a atividades esportivas, culturais, de relaxamento e de lazer.

Em 2016, também foi realizada a Semana da Diversidade e do Voluntariado. Ocorreram atividades promovidas pelas diretorias de Imprensa, Sustentabilidade e Comunicação, e RH, destacando-se a palestra com a atleta Ana Moser, o Painel de Trocas: Mulheres na Liderança e o stand-up comedy “Empoderamento da Mulher”, contando com a participação de 137 pessoas.

 

Campanha Outubro Rosa
Campanha Novembro Azul
Palestra com a atleta Ana Moser

Em 2016, também foi realizada a Semana da Diversidade e do Voluntariado. Ocorreram atividades promovidas pelo Instituto BM&FBOVESPA e pela Diretoria de RH, destacando-se a palestra com a atleta Ana Moser, apresentando seu projeto social de vôlei, o Painel de Trocas: Mulheres na Liderança e o stand-up comedy “Empoderamento da Mulher”, contando com a participação de 137 pessoas.

Plano de saúde G4-LA7

O ambiente e as atividades da Companhia apresentam baixo risco para a saúde e para a segurança dos funcionários. Todos têm acesso aos planos de saúde corporativo e odontológico, extensivos ao cônjuge e aos filhos de até 21 ou 24 anos, quando universitários. Em casos de doenças graves, nos quais se faz necessária assistência específica não coberta pelo plano, são realizadas análises individuais para avaliação da concessão do benefício.

Os funcionários também contam com dois ambulatórios, localizados nos prédios da Praça Antonio Prado e da Rua XV de Novembro, com médicos e técnicos de enfermagem disponíveis todos os dias da semana.

Plano de previdência G4-EC3

A BM&FBOVESPA mantém um plano de previdência de contribuição definida, com adesão voluntária aberta a todos os funcionários. No total, 1.015 pessoas participaram do plano.

O plano possibilita para os funcionários maior investimento por parte de participantes e patrocinadora – de 1 a 7% do salário mensal, com contrapartida de 100% da empresa. Em caso de término do vínculo empregatício antes da data de aposentadoria prevista, o participante poderá manter o plano dentro das regras estabelecidas pelo regulamento ou solicitar o cancelamento da inscrição.

Neste caso, poderá optar pela portabilidade de 100% do saldo das reservas constituído pelas suas contribuições e, conforme o tempo de empresa, até 90% do saldo das reservas constituído pelas contribuições da Bolsa; ou optar pelo resgate de 100% do saldo das reservas constituído pelas suas contribuições e, conforme o tempo de empresa, até 50% do saldo das reservas constituído pelas contribuições da BM&FBOVESPA.

Segurança e saúde G4-LA5G4-LA8

Na BM&FBOVESPA, conforme acordos firmados pelo sindicato, a força de trabalho é representada em comitês formais de saúde e segurança, compostos por funcionários de diferentes níveis hierárquicos, que ajudam a monitorar e orientar programas de saúde e segurança no trabalho.

  • Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa) – Para discutir assuntos relacionados à prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, a BM&FBOVESPA dispõe de técnico em segurança do trabalho, além da Cipa, formada por 18 integrantes (1,4% do total de funcionários). Nas eleições da Cipa 2016/2017, foram coletados 931 votos, correspondendo a 74% da Companhia, que designaram cinco titulares e quatro suplentes.
  • Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho (Sipat) – A sétima edição apresentou atividades relacionadas à saúde e à prevenção de acidentes, visando incentivar comportamentos mais conscientes e positivos. Foram realizados workshops sobre os temas vida e alimentação saudável, felicidade e prevenção de doenças, bem como avaliação oftalmológica, aferição de circunferência abdominal, colesterol e glicemia, além de blitz ergonômica, com intervenções nas estações de trabalho com orientações sobre postura e massagem relaxante. A Sipat 2016 teve 2.675 participações durante seus cinco dias de programação.

Direitos humanos e práticas trabalhistas

A BM&FBOVESPA conta com funcionários, estagiários e prestadores de serviços com contratos formalizados e zela por um ambiente de respeito às pessoas. Registros de casos de discriminação por motivos de origem étnica, cor, sexo, religião, ideologia, nacionalidade ou condição social são tratados pelo Comitê do Código de Conduta de forma sigilosa, sendo portanto, informações confidenciais. G4-HR3

Em 2016, a Companhia teve 35 reclamações trabalhistas registradas e 49 solucionadas, das quais 46 foram registradas no ano anterior. G4-LA16

A Companhia não desenvolve atividades que representem ameaças à saúde ou ao meio ambiente. Aborda práticas responsáveis na seleção e na contratação de fornecedores, como impacto ambiental, ética, saúde e segurança, e não envolvimento em casos comprovados de corrupção, suborno, trabalho escravo ou infantil, sob pena de rescisão unilateral imediata do contrato celebrado.

A BM&FBOVESPA mantém o compromisso de analisar e homologar fornecedores, de acordo com sua Política de Aquisição de Bens e Serviços, visando mitigar os riscos de imagem, trabalhistas, de trabalho infantil e escravo. O contrato-padrão de prestação de serviços contém cláusulas específicas que tratam de direitos humanos. G4-12

Para garantir alguns desses aspectos, a Companhia encaminha um questionário socioambiental, a ser preenchido pelo fornecedor, com o objetivo de analisar as práticas de sustentabilidade, como políticas, procedimentos, informações sociais e iniciativas adotadas pela empresa. G4-12

Ademais, o processo contínuo de seleção e homologação contempla análise detalhada quanto à regularidade cadastral e fiscal (tributos federais, inclusive contribuições previdenciárias), bem como avaliação financeira da empresa e práticas socioambientais. G4-12

No final de 2016, a Companhia contava com 498 fornecedores contratados, dos quais 113 são novos contratos, tendo 100% de atendimento aos critérios de avaliação de direitos humanos, bem como de práticas trabalhistas. Não houve registro de impactos negativos significativos reais e potenciais em direitos humanos na cadeia de fornecedores, nem de queixas e reclamações. G4-12G4-LA14 | G4-LA15 | G4-HR10G4-HR12G4-SO9G4-SO10

Destaca-se que, em função da complexidade e da relevância da estrutura tecnológica para o desenvolvimento da Companhia, seus principais fornecedores são empresas de tecnologia e provedores de solução de hardwares e softwares, como servidores, equipamentos de rede, mainframe, manutenção de equipamentos, suporte técnico e mão de obra especializada para projetos específicos. G4-12

Combate à corrupção

A BM&FBOVESPA mantém o Programa de Integridade, de acordo com as diretrizes da Lei Anticorrupção 12.846/2013, a fim de detectar e sanar desvios, fraudes, irregularidades e atos ilícitos praticados, em especial, contra a administração pública nacional ou estrangeira.

Em 2016, a Diretoria de Controles Internos, Compliance e Risco Corporativo avaliou o ambiente de controles internos em relação ao impacto e à probabilidade de materialização dos riscos de fraude e corrupção. Foram analisados 27 processos visando identificar possíveis cenários de fraude e mitigar os respectivos riscos, priorizados pela Diretoria Executiva para monitoramento desses riscos. G4-SO3

A Companhia também promove treinamentos periódicos para funcionários, estagiários e prestadores de serviços, com o objetivo de capacitá-los para identificar e reportar casos suspeitos de corrupção e lavagem de dinheiro.

Todos os membros de órgãos de governança, funcionários, estagiários e prestadores de serviços alocados nas dependências da BM&FBOVESPA foram comunicados sobre as políticas e procedimentos anticorrupção, incluindo o novo Código de Conduta. G4-SO4

Em 2016, foi divulgada a Cartilha Anticorrupção para que todos – funcionários, estagiários e prestadores de serviços alocados fisicamente nas dependências da Companhia – estejam alinhados com as melhores práticas de combate à corrupção. Até o final do ano, 1.517 pessoas (100% do quadro funcional), incluindo diretores, concluíram o treinamento de combate à corrupção. G4-SO4

Adicionalmente, a BM&FBOVESPA divulga e incentiva o uso dos canais de denúncias e promove a revisão de suas políticas, normas internas e de seu Código de Conduta, por meio do qual assume expressamente seu compromisso com a prevenção e com o combate à corrupção, à lavagem de dinheiro e à fraude. G4-SO4

Vale ressaltar que, em 2016, não foram identificados casos de corrupção pelo Comitê do Código de Conduta. Também não foram registrados casos envolvendo funcionários ou parceiros comerciais ou que tenham resultado na adoção de medidas disciplinares (advertência, suspensão ou desligamento) ou contratuais (rescisão), ou casos em que contratos com parceiros de negócios não foram renovados em decorrência de violações relacionadas à corrupção, bem como não houve multas significativas, sanções não monetárias por não conformidade com leis e regulamentos, fornecimento e uso de produtos e serviços, e violação de privacidade. G4-SO5G4-SO8G4-PR8G4-PR9

Próximo captítulo

Investimento Social e Gestão Ambiental